7 formas de divulgar minha empresa na internet e conquistar novos clientes

O que você já sabe é que a internet está cheia de dicas de como divulgar uma empresa na internet, mas você não quer passar horas e dias pesquisando esses milhares de possibilidades? Certo! Então aqui estão as suas 7 formas de divulgar minha empresa na internet e conquistar novos clientes, sem sofrer com o tempo e colocá-las em prática hoje mesmo.

Desde a entrada da internet e das mídias sociais em nossas vidas o formato de relacionamento foi alterado e principalmente com relação à venda e compra, entre consumidor e empresa fornecedora.

Este fato não pode ser negado e nem passar despercebido, é hoje um dos maiores fatores determinantes para que uma empresa esteja com sua produção de resultados satisfatórios ou não.

O balão de oxigênio para as empresas que ainda não conseguem acompanhar essa ideia é comece, dê o primeiro passo agora.

#1 – Criar um canal de distribuição de conteúdo FREE

divulgar minha empresa na internet 1

A criação de um canal de distribuição de conteúdo é extremante eficaz para que o seu público comece a entender o que você realmente faz ou o que sua empresa tem a oferecer que vai ajudá-lo no dia-a-dia ou como solução para um problema específico e imediato.

Para que seu público se torne um cliente escolha uma rede social ou um blog que possa criar e entregar conteúdos importantes.

Já sei que talvez esteja pensando: Minha Empresa tem um site será que já é o suficiente? Não, não é o suficiente e vou explicar o por quê.

O blog é maneira mais profissional, didática e burocrática que podemos ter para que não percamos a oportunidade de mostrar o conhecimento, de interagir e de ouvir nosso público.

Através de um blog profissional as pessoas conseguem perceber o nível de conhecimento e o que realmente a empresa poderá fazer pelo cliente.

Junto com o blog tenha perfis nas mídias sociais, para que possa ser participante e criar um relacionamento social com seu público, MAS não atire para todos os lados, não invista cegamente em todas as mídias sociais existentes, estudo o seu público minuciosamente, em quais mídias gostam de interagir, tipos de assuntos gostam de ler, o que estão interessados em aprender para aplicar.

Depois de todas as informações coletadas e estudadas você saberá exatamente onde suas forças deverão estar concentradas.

#2 – Ajudar o cliente com soluções práticas

divulgar minha empresa na internet 2

Você já ouviu de alguém que fez um curso de duração de um ano e no final percebeu que não aprendeu nada, ou que fulano falou e no final não disse nada? Tudo isso não de teoria.

Eu, tu, ele, nós, vós e eles quando precisamos de uma ajuda, precisamos também das ferramentas e orientações em como usá-las antes que o probleminha torne-se “problemão”.

E é isso exatamente que os consumidores buscam ao pesquisar, praticidade, não querem somente o preço, forma de parcelamento, garantia por um período xis, essas informações são considerados “commodities”.

Exemplo prático e aplicável:

A empresa tem como carro chefe de vendas aparelhos celular do modelo Iphone, aparelhos estes se conhecendo bem os recursos conseguem tirar ótimas fotos por exemplo.

Então a empresa sabendo de todos os recursos decide criar um blog para seu público e um dos artigos postado será: Saiba como extrair o melhor da câmera do Iphone para fazer imagens incríveis dos seus produtos e divulgar na internet.

Com certeza até mesmo as pessoas que nunca pensaram em comprar um Iphone vai visitar o site da sua empresa, visitará o blog para conhecer mais dicas, e certamente você fará mais vendas.

Isso mostrará que a empresa conhece o produto e que também terá a solução que o consumidor precisa OU despertará no consumidor um interesse que não existia.

#3 – Esqueça os termos técnicos

divulgar minha empresa na internet 3

O consumidor na maioria das vezes não conhece a solução que poderá ajudá-lo em um determinado problema, então de forma genérica ou simples fazem pesquisas com termos de acordo com o problema.

Por essa razão é importante que as empresas conheçam o perfil do seu público e produto, entenda como pensam na hora de comprar e como o produto ou serviço poderá despertar o interesse do consumidor através sua aplicação.

Veja 2 exemplos de pesquisa realizada no Google:

#1 – Exemplo de pesquisa realizada por consumidor que NÃO conhece termo técnico: Empresas que fazem medição de terreno na cidade de vila velha.

divulgar minha empresa na internet 4

#2 –  Exemplo de pesquisa realizada por consumidor que conhece termo técnico: Topógrafo na cidade de vila velha.

divulgar minha empresa na internet 5

Mas lembre-se, A MAIORIA DOS CONSUMIDORES NÃO CONHECEM termos técnicos e as empresas acabam perdendo muitos contatos de prováveis clientes por não falar o mesmo dialeto.

As imagens acima mostram exatamente como as empresas perdem por não divulgar conteúdo e nem criar uma publicidade voltada para o seu público.

A imagem #1 mostra o resultado da pesquisa genérica, como o consumidor realizou a pesquisa e não teve nenhuma referência de empresas na cidade de vila velha para essa prestação de serviço.

Já a imagem #2 mostra o resultado da pesquisa com termo técnico do serviço e logo no início apareceram várias referências de empresas.

As dicas para melhorar esses resultados e converter para o sucesso:

  • Congelar todas as publicidades de links patrocinadas que estão sendo vinculadas para que possa analisar as palavras-chave e não perder dinheiro.
  • Criar conteúdos com palavras-chave de acordo com as pesquisas realizadas pelos consumidores, uma das ferramentas mais utilizadas para planejar as palavras-chave é o Google Keyword Planner.

#4 – Criar uma lista de contato que realmente se interessou pelo seu conteúdo, profissionalismo e carisma

divulgar minha empresa na internet 6

É comum empresários e profissionais liberais, pesquisar e questionar: Como posso vender mais? Quais são as formas de divulgar minha empresa na internet? Divulgar meus serviços nas redes sociais? Tornar minha empresa conhecida com marketing digital?

Com todos os questionamentos feitos é necessário salientar que o desejo maior que está por detrás dessas perguntas é o interesse de como os clientes chegarão até as empresas.

No decorrer do artigo foi mencionada a importância de ter um canal de distribuição de conteúdo para que o público possa consumir, divulgar e compartilhar, das redes sociais para interagir e criar um relacionamento duradouro, ajudar o consumidor com soluções práticas, porém, para que essa interação e o contato possam ser duradouros o ideal e indispensável é construir uma lista de e-mail vip aonde você terá um contato direto, distribuir em primeira mão novos conteúdos interessantes para esse seleto público.

Entenda que toda lista vip precisa ser blindada de qualquer atividade de SPAM, esse tipo de ação é proibida.

No site ou blog da empresa deverá ter campos específicos para que os leitores possam cadastrar o endereço de e-mail para receber as atualizações das empresas e não perder nenhuma novidade.

É claro, como se trata de uma lista com seus leitores fiéis a empresa poderá criar estratégias especiais se desejar de um produto ou serviço para esse público. Quem é que não fica feliz em receber pelo menos uma palavra direta do diretor da empresa, seja criativo e entrega algo de valor.

Como exemplo prático, veja nosso blog Mais Vendas com Marketing, repare que logo abaixo do artigo e em todo blog convidamos você a participar da nossa lista, por que queremos que você tenha mais resultados através dos nossos artigos.

Vantagens em criar uma lista de e-mail com qualidade:

  • Relacionamento direto com o cliente.
  • Baixo investimento para programar.
  • Fortalecimento da marca.
  • Convergência de mídias.
  • Conhecer melhor o seu cliente.

#5 – Jogar no mesmo time do seu cliente (Você vai me ouvir falar muito disso no blog)

divulgar minha empresa na internet 7

Leia com MUITA ATENÇÃO nesta colocação retirada do código de defesa do consumidor:

Princípio da vulnerabilidade

I – reconhecimento da vulnerabilidade do consumidor no mercado de consumo

A vulnerabilidade deve se fazer presente para que o consumidor possa ser tutelado pelo CDC. Conforme explanamos quando da conceituação de consumidor no art. 2°, todo consumidor é, por natureza, vulnerável perante o fornecedor.

Sobre a vulnerabilidade do consumidor, Fábio Konder Comparatto disciplina que “O consumidor, certamente, é aquele que não dispõe de controle sobre os bens de produção e, por conseguinte, consumidor é, de modo geral, aquele que se submete ao poder de controle dos titulares de bens de produção, isto é, os empresários”.

Por isso é que o Código de Defesa do Consumidor apresenta-se marcadamente protecionista, já que suas normas destinam-se a proteger a parte tida como a mais vulnerável na relação de consumo, ou seja, o consumidor.

O código de Defesa do Consumidor veio amparar a parte mais fraca nas relações jurídicas. Nenhuma decisão judicial pode amparar o enriquecimento sem justa causa. Toda decisão há de ser justa (STJ, REsp. 90366/MG, DJ 02/06/1997, Rel. Min. Luiz Vicente Cernicchiaro).

Noutras palavras, é justamente a vulnerabilidade presente nos consumidores que justifica a existência do Código de Defesa do Consumidor. O princípio da vulnerabilidade, assim, é o princípio básico do sistema consumerista, dele decorrente todos os demais princípios. Todos os princípios enumerados no artigo 4° e outros espelhados pelo código somente farão sentido quando primeiramente, for reconhecida a vulnerabilidade do consumidor. Sem esta premissa reconhecida, não terá sentido qualquer norma de proteção e princípio a ser aplicado.

O texto citado é para ajudar as empresas a entenderem a condição real dos consumidores, por que muitos têm dúvida ou medo de comprar e por que infelizmente muitas empresas perdem uma ação judicial para o cliente.

Toda empresa ao vender um produto e serviço não tangível tem um contrato com cláusulas para resguardar o cliente em seus direitos e a empresa de qualquer indisposição com o cliente, mas o que muitas empresas não perceberam é que esses mesmos contratos tem que jogar 100% a favor do cliente. Sem desespero, vamos explicar!

  • Toda e qualquer proposta deverá obter claramente termos que o consumidor entenda o que vai comprar. (Lembra-se do ponto #3 deste artigo, ele também pode ajudar nisso).
  • Conheça o Código de Defesa do Consumidor, crie um novo contrato citando os deveres do consumidor, os deveres da empresa e cláusulas de acordo comuns a ambas as partes.
  • Não tenha pressa em vender, peça que o cliente leia exatamente todo o contrato e tire suas dúvidas.
  • Tenha espaço para assinatura para testemunhas.
  • Solicite o cliente que reconheça firma da assinatura registrada em cartório.

As medidas acima passam segurança e credibilidade para o consumidor que com certeza será seu grande parceiro de indicações por ter a empresa como idônea e transparente nas negociações e a empresa mais resguardada de qualquer ação judicial.

#6 – Promova experiências inesquecíveis e apaixonantes

Dicas essenciais para construir experiências inesquecíveis:

  • Tenha ouvidos e leituras atentas às necessidades dos seus leitores.
  • Dê oportunidade de seu público-alvo “degustar” o produto ou serviço ofertado pela empresa.
  • Ensine a utilizar o produtor e serviço ofertado.
  • Receba as críticas e as analise para o crescimento do seu negócio.
  • Responda a todos os questionamentos e objeções sem demora e com todo carinho.
  • Surpreenda a todo o momento. Faça um teste agora, faça uma ligação para um cliente antigo para saber como ele está.
  • Escreva e-mail dedicado dando os parabéns para cada cliente que adquire seu produto ou serviço.
  • Reinvente sua performance perante o mercado.

#7 – Gran finale (Grande final)

Desejamos a você todo o $uce$$o na aplicação do que aprendeu com este artigo.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *